domingo, 9 de dezembro de 2012

Escolas de Osasco desenvolvem projeto de Horta Orgânica



As unidades educacionais Benedicto Weschenfelder e Profª Elza Carvalho Batiston desenvolvem projetos de horta orgânica, uma na vertical e outra na horizontal. Na EMEF Elza o objetivo foi conscientizar a comunidade escolar sobre o meio ambiente, reciclagem e bom uso de pequenos espaços em casas ou apartamentos, propondo a horta vertical. Já na Weschenfelder, o projeto foi apresentado nas reuniões de HTP com a formação “Alimentação Saudável”.
De acordo com a professora Angélica Aparecida Peixinho, da escola Elza Batiston, tudo começou com a visita ao parque Clóvis Assaf, que fica próximo a escola, para a coleta de materiais, folhas, sementes e galhos para colagem em atividades realizadas pelos alunos.
“Durante a visita ao parque realizamos quadrantes para melhor observação da diversidade de plantas e animais existentes e coleta de materiais para comparação em sala de aula. Em paralelo realizamos experiências e observações com o uso de microscópio, dos materiais coletados, associando o lado negativo observado (lixo) e o positivo, (plantas)”, disse.
 
A partir daí surgiu a ideia da criação de uma horta, a unidade escolar disponibilizou verba para compra de terra adubada e mudas. Cada aluno trouxe sua garrafa pet que foi decorada por ele e depois cortada e amarrada.
Thaís Reis dos Santos, 8 anos, fala da experiência de visitar o parque e conhecer espécie de plantas que ela desconhecia totalmente. “Eu não conhecia e nem sabia para que serviam algumas plantas, a professora me explicou, agora tenho uma horta também em minha casa”, conta a menina.
 
Na Weschenfelder, o projeto “Alimentação Saudável” se estendeu para a formação de uma horta caseira, onde professores e funcionários puderam plantar suas próprias mudas e experimentar o cultivo de temperos orgânicos.
“Nosso trabalho tem crescido de forma significativa, uma vez que conseguimos reunir um grupo de pais que se envolveram nas atividades nos finais de semana e estendemos o convite aos professores para aderirem ao projeto. Temos um grande colaborador, o Sr. Paulo Adelson, que além de acompanhar todo o processo até aqui vivido foi o direcionador de boa parte das ações. Atualmente as crianças do segundo ano também estão envolvidas e cuidam diariamente da horta, que por ser orgânica, não recebe nenhum tipo de veneno, adubo ou fertilizantes”, conta a gestora da unidade, Elaine Aparecida Bomtempo Mendes.
Na horta são cultivados oito tipos de hortaliças e temperos, e a perspectiva de ampliar para frutos e legumes.
 Heid de Souza, mãe de aluno disse que a filha vive falando na horta. “Ela se envolveu de tal forma que vive desenhando pé de cebolinha”, disse Heid sorridente. Já Isabella Meira Oliveira, 8 anos, que cuida diariamente da horta disse, ”eu plantei, rego, já colhi e até comi!”, fala toda orgulhosa.
Além de trabalhar com a questão da alimentação saudável, as crianças tem explorado a horta como um todo. Aprenderam sobre a função do sol, do ar, da sombra e da água, a importância destes elementos e seu equilíbrio para o sucesso da colheita.
O projeto continua em andamento nas duas unidades, através da criação de um herbário, onde serão catalogadas as espécies plantadas por cada aluno, além das pesquisas.
Para a secretária de Educação Marinalva Oliveira, tanto um projeto como o outro, são importantíssimos para a conscientização da preservação do meio ambiente e da importância dos alimentos para a saúde. “Quando a criança pesquisa e vivencia situações como essas, desde a infância, com certeza será um adulto mais responsável com as questões ambientais e preocupado com sua alimentação, aprendendo a escolher alimentos que irão fazer bem a sua saúde”, disse.
 

Um comentário:

  1. Deveria O Ministério da Educação criar um movimento em todas as escolas públicas o isentivo de criação de horta, incentivava as crianças e pais nesse nova cultura de alimentação horganica, mudança de habitos alimentares. Teríamos mais saúde e redução de doenças e gastos de recursos públicos. Vamos formar uma corrente do bem a favor da implantação das hortas escolares.

    ResponderExcluir